Veja as novas regras para a importação durante a pandemia em 2021

0

Logo no início da Pandemia do novo Coronavírus, o Governo Federal zerou as alíquotas de Impostos para importação de materiais que seriam utilizados pela medicina brasileira no combate à doença. 

Já o cenário geral para as importações de outros tipos de materiais não sofreu muitas alterações se comparado aos anos anteriores. Vamos fazer algumas observações acerca dele hoje.

Continue lendo está postagem para compreender o que muda, o que se mantém e qual a expectativa para as importações no ano de 2021 em nosso país; 

Impacto do Corona vírus na importação de produtos

Alguns pontos importantes ilustram bem os impactos causados pela pandemia do Covid-19 nas importações nacionais. Vamos analisar os dois pontos mais importantes:

Paralisação da indústria – lá no início, quando tudo ainda estava sendo estudado e os governos tentavam entender o comportamento do vírus, as indústrias chinesas deram uma pausa em suas produções. Isso causou um grande problema de abastecimento de matéria prima vinda de lá. Este foi um dos primeiros impactos e um dos mais significativos inicialmente. O resultado foi uma alta nos preços e a falta de mercadorias nos estoques.

Desabastecimento – Como dito acima, o desabastecimento foi um dos primeiros problemas causados indiretamente pela pandemia. O  principal setor afetado aqui no Brasil foi o de eletrônicos, pois cerca de 70% dos insumos eletrônicos vêm da China. Ainda hoje percebe-se uma falta de materiais e ainda parece que a normalização vai demorar um pouco mais. 

No entanto, não foi apenas a importação que sofreu um impacto negativo, as exportações também sofreram uma queda significativa. Apesar da vacinação estar avançando em nosso país, as expectativas ainda não são das melhores. 

Quem mais sofreu com essa queda na exportação foi o setor agropecuário, que exporta anualmente toneladas de alimentos para muitos países do mundo. 

Redução de imposto: quais produtos tiveram redução prorrogada pelo governo?

A redução de impostos foi liberada até 31/12/2021 para insumos usados no combate ao coronavírus, portanto, materiais ligados à saúde, de alguma forma. Segundo o site do governo o que estará zerado serão os impostos sobre:

  • Medicamentos e princípios ativos
  • Equipamentos médico-hospitalares
  • Insumos para fabricação de equipamentos médico-hospitalares
  • Álcool em gel e insumo para fabricação de álcool em gel
  • Aventais médicos, máscaras e luvas
  • Componente de câmeras de medição térmica
  • Equipamentos para diagnósticos e testes de detecção do vírus
  • Equipamentos para auxílio respiratório
  • Produtos para limpeza e higienização

Como reduzir custos de importação durante a pandemia?

Se os itens de importação que você busca não se enquadram nos materiais citados, veja algumas dicas que podem ajudar:

Procure um fornecedor de qualidade, observando suas referências comerciais, o nível do serviço oferecido, os canais de comunicação que ele disponibiliza e suas ofertas. 

Escolha o melhor modal de embarque, analisando qual deles traz mais vantagens e considerando o frete e o armazenamento. Por exemplo, veja se vale mais a pena o aéreo ou o marítimo; se o armazenamento é calculado junto ou separado.

Faça uma revisão rigorosa na documentação pré-embarque, pois uma revisão mal feita pode resultar em multas. 

Opte por lotes econômicos, veja as regras e entenda qual lote de produtos têm valores mais baixos, tanto de comprar quanto de impostos. 

Desembaraço aduaneiro em Zona Secundária, que são zonas menos disseminadas, mas que foram criadas com a intenção de agilizar a liberação de mercadorias importadas e exportadas. Nela é possível retirar apenas parte da carga e pagar impostos de acordo com isso. 

Infelizmente as perspectivas para importações e exportações não são das mais animadoras, mas este cenário poderá começar a mudar com a medida que as crises sanitária e econômica começarem a passar.