Sedentarismo: o segundo maior fator de risco para mortalidade

0

Por: Dr. Leonardo Quicoli 

 De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, o sedentarismo, caracterizado pela falta ou diminuição das atividades físicas, é considerado o mal do século e um dos fatores de risco para doenças cardiovasculares. Um estudo clínico, que se estende ao longo de quase meio século, mostra que o sedentarismo é o segundo maior fator de risco para a mortalidade. Nesse contexto, perde posição apenas para o tabagismo.

  Estudos recentes demonstraram que obesos ativos possuem menor risco de saúde do que os magros sedentários. Segundo a Federação Mundial de Cardiologia, pessoas que não se exercitam possuem um risco duas vezes maior de sofrer doenças do coração, ter pressão alta e desenvolver diabetes, independente do fato de estar ou não acima do peso.

  A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a prática de exercícios físicos por, pelo menos, 150 minutos por semana. No entanto, a OMS revela que uma em cada três pessoas não pratica atividades físicas regularmente.

  O indivíduo sedentário sobrecarrega o organismo, prejudicando o seu funcionamento. Como consequência, ocorre o sobrepeso, a obesidade, além de doenças como diabetes e hipertensão.

  Mas, uma alimentação regrada não garante uma vida saudável. A prática de atividades físicas regulares, aliada à dieta, é fundamental para a manutenção da qualidade de vida ideal.

  O estilo de vida atual da maioria das pessoas, com uma rotina corrida, muitas vezes é usado como empecilho para a realização de exercícios físicos. No entanto, como vimos, o sedentarismo pode trazer muitos danos à saúde. Assim, é preciso separar algum momento do dia para a prática de exercícios.

  Para começar, 30 minutos de caminhada diária já são suficientes. Além disso, adotar uma alimentação saudável é capaz de proporcionar uma melhora da qualidade de vida e também a redução do peso, afastando assim, riscos para a saúde.

  Cuide de sua saúde! Adote hábitos saudáveis, entre eles a prática de atividade física. Afinal, agora você já sabe que o sedentarismo é também um importante fator de risco para o coração.