Gabriel Aglio confessa ser vaidoso e revela que o esporte é sua maneira de obter saúde.

O galã conta que não faria procedimentos estéticos e que tem os traços do seu corpo como sua história

0

Já se foi o tempo em que apenas as mulheres se preocupavam com a aparência. Os homens estão mais vaidosos, e se preocupam com a aparência e o bem estar.

 

Gabriel Aglio comenta que se intitula vaidoso, de uma forma saudável. Não coloca aparência em primeiro lugar como característica, mas tem uma rotina de beleza como skin care e afins.

 

 

 

 

Para Gabriel exercício físico não está necessariamente relacionado com vaidade ou beleza, e sim com saúde.

‘’Sou uma pessoa que procuro estar sempre com o corpo saudável, muito por causa de ser atleta’’, comenta ele.

 

 

Como atleta de slackline, Gabriel gosta de se aventurar em tudo que é radical.

‘’Escalo, salto de paraquedas, faço mergulho com cilindro, surfo, jogo futebol, corro… Tudo que estimule a movimentação me agrada.’’

 

 

Gabriel conta que não faria procedimentos estéticos, como harmonização fácil ou botox. Para ele os traços do seu corpo, são a sua história, por isso não pensa em modificar.

‘’Gosto sempre de falar que não deveríamos ter o padrão de beleza que nos é imposto pela sociedade como o único aceitável. Tenho a opinião de que nós somos únicos do jeito que viemos ao mundo e a padronização tira um pouco da nossa singularidade’’.

 

 

 

 

 

 

Ele faz trabalho com shows business, e sente a necessidade de cuidado com o corpo ao fotografar de cueca.

‘’A cada duas semanas eu faço fotos de cueca, fitness photos, para mostrar como está o meu corpo. Sempre preciso estar dentro dos padrões aceitáveis da empresa, e essa é a maior pressão que sofro’’, conta ele.

 

 

Gabriel comenta que nunca sofreu bullying e que acredita que nunca praticou também. Diz ser muito brincalhão e que gosta de incomodar os amigos, mas sempre respeitando o limite de cada um.

‘’Não gosto de oprimir e fazer alguém se sentir mal, também não gosto de pessoas que precisam diminuir os outros para se sentirem bem’’, encerra ele.